segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Olhares sobranceiros.

Um dia me disseram que todos deveriam ter o direito de voar. Pelo menos uma vez, pairar no ar.

Descreveram-me essa sensação com brilho nos olhos, dava pra ver o sentimento saltando dos poros e a fala cheia de emoção.

Tudo era poesia. Ouviam-se cantos em cada canto. Uma seresta em todas as arestas. Melodias oitavadas e acordes dedilhados. Tudo era festa.

Pelo menos uma vez todos deveriam voar. Afirmaram-me com um certo brilho no olhar.

5 comentários:

Greta Poltronieri disse...

sensacional!!!!

vicente cortello disse...

eu sempre soube disso.
e a convivência com você me fez ver como isso é bom as vezes!

Eduardo disse...

e para os mais medrosos, é possível voar com os pés no chçao, só com os pensamentos...

Renan disse...

Atualmente me dizem como é viver na era do ferro.

Ferro que sustenta nossas casas, que se transforma em algema e nos prende as asas.
Ferro mais pesado que o ar, e muito mais caro que a dita liberdade.

Afinal, será a liberdade coisa tão barata? ou será que a época de ferro transformou os nossos sentidos?


[]´s!

Luca disse...

aos três anos de idade, eu tentei voar. talvez, tivesse sido eu, com meu olhar infantil.
aos três anos, eu caí de 5 metros de altura e fiquei desmaiada.
aos três anos, a minha mãe bateu na minha irmã porque eu tentei voar.

*^.^*

ô, blog bão!