quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Sinopse.

Ao apreciar doses abundantes de uísque barato, dentro de um bar sujo, extremamente fedido, mal frequentado e repleto de consternações, um homem faz eclodir múltiplos deslumbramentos de sua natureza humana.
 
Boa parte dos diálogos são inteligentes, repleto de sarcasmos e pressupostos. Personagens enigmáticos compõem a trama, incitando este homem em inúmeras situações. Porém, nosso personagem, em algumas ocasiões, insiste em responder aos desconhecidos: “O mundo já estava assim quando cheguei, porra”!
 
A maioria das cenas é narrada por uma câmera em primeira pessoa, com enquadramento de destaque em sua percepção dos fatos. Momentos acelerados para registrar outra dimensão do local, atirando a vida deste homem sobre os olhos dos expectadores. Outrora, minutos desacelerados para mostrar o caos dentro de sua mente. Fotografia intimista, música eletrônica, rock oitentista e múltiplos cortes secos. Contém diversas cenas de violência, drogas e sexo.
 
Em cartaz, nos cinemas não muito distantes de você.
Afinal, a vida é um filme... Corta!

6 comentários:

disse...

Em cartaz, nos cinemas não muito distantes de vocês! rsrs
Abra os olhos!

Jaci Rocha disse...

"O sistema é mau,mas minha turma é legal. Viver é foda,morrer é difícil..."

Foi a música do Renato que me veio à cabeça enquanto lia este texto, Thiago.

Muito bom!=)

# Poetíssima disse...

Adoguei!

# Poetíssima disse...

“O mundo já estava assim quando cheguei, porra”!

Amei isso..

Tamara Queiroz disse...

Pelas lentes subjetivas!

Marisete Zanon disse...

Caramba! Gostei demais daqui! Mas pôxa!!! Posta mais, né? hahahaahah!
Beijos querido.