quarta-feira, 17 de junho de 2009

Depois do fim - Quarto ato

Amizade de estrada

Um dos rapazes interrompe a conversa, dizendo para Gilberto que sua viagem acabara por ali. O assalto é anunciado. Gilberto, coitado, não tinha dinheiro algum para oferecer, só tinha o dinheiro que seu chefe deu antes da viagem. Com armas em punho, os rapazes pediram calma para ele, alertando sobre as conseqüências caso reagisse. Sem hesitar, Gilberto tira o envelope e entrega aos rapazes, dizendo que era só o que poderia oferecer. Os rapazes, rindo, dizem que sabiam, pois, já tinha conferido que na van só tinha algumas peças e embrulhos. Em estado de choque, Gilberto só observa os rapazes caminhando até o Chevette e partindo pela estrada a fora.

Visivelmente abatido, Gilberto entra no restaurante e seu pedido já está posto sobre a bancada. Ele chama a garçonete e informa sobre o trágico ocorrido. Porém, antes que terminasse, um rapaz fala pra garçonete que pagará a conta. Ele bate a mão no ombro de Gilberto e diz para ficar tranqüilo. Gilberto olha para o rapaz e aceita sem excitar. Pois, nessa altura do campeonato, a fome falava mais alto. O rapaz pede uma coxinha, uma cerveja e senta ao lado de Gilberto.

Mesmo com vergonha, Gilberto agradece o gesto do rapaz e lhe conta sobre o assalto. O rapaz lhe interrompe dizendo que viu a cena, mas, não pode interferir, pois, não possui arma e, com isso, não costumava reagir a assaltos. Só reagiu uma vez pra nunca mais. Ele se apresenta, seu nome é Osvaldo, é mecânico, casado com Marília, pai de duas lindas meninas, Jessica e Rebeca. Diz que está ali, pois, se trata de um ótimo ponto para exercer sua profissão. Comenta que está familiarizado com manutenção de caminhões e que, desde muito tempo, trabalha com isso.

Passa-se duas horas, cinco refrigerantes, três cervejas, dois salgados, sete fichas para Junkie Box e alguns minutos. Gilberto e Osvaldo parecem amigos de infância. Gilberto revela sua aflição e nervosismo em ser pai, não vê a hora que isso aconteça. Porém, lamenta em ser pobre e, confessa a Osvaldo, que queria pagar ótimas escolas para o filho, convênio médico, enfim, mesmo assim se esforça para dar o melhor que puder. Osvaldo acha as declarações cômicas e familiares, brinca dizendo que já passou fome e que existe algo bom em ser pobre, pois, não se gasta muito em pasta e escovas de dente. Diz que sabe bem o que ele está sentindo, pede para Gilberto ter fé. E, é neste clima de descontração que Osvaldo acerta tudo e os dois saem do restaurante.

Gilberto quer mostrar a Osvaldo, algumas fotografias que estão na van. Eles vão até o veiculo e, então, percebem que os assaltantes furaram o pneu dianteiro do lado esquerdo do carro. Nervoso com a situação, Gilberto chuta a roda e maldiz os bandidos. Osvaldo pede por calma, pois, ele ajudaria a consertar o carro. Acredito que essa amizade repentina fora bastante salutar para Gilberto, pois, além de se oferecer para pagar o pedido no restaurante, Osvaldo também ajudara com sua van.

Após alguns minutos, o carro está pronto para seguir viagem. Gilberto agradece muito e lhe oferece uma carona. Osvaldo diz que ficaria por ali, descansaria após ter ajudado seu novo amigo. Movido pela gratidão, Gilberto lamenta por não ter dinheiro para pagar o serviço e o lanche. Osvaldo fala que o lanche já foi pago com uma ótima conversa e pela amizade de estrada, porém, pergunta pra Gilberto se ele cruzaria por Contagem. Gilberto diz que sim, que este é seu destino, Osvaldo fala que mora lá e, então, sugere que Gilberto pague pelo serviço levando o dinheiro até sua casa, pois, não sabia quando iria rever sua família. Gilberto ficou entusiasmado. Tomou logo um papel e uma caneta para anotar o endereço. Afirmou a Osvaldo que, assim que chegasse a Contagem, a primeira coisa que faria, seria entregar o dinheiro nas mãos de sua esposa.

Gilberto partiu dentro da escura noite. Chateado pelo que aconteceu, mas feliz por ter encontrado ajuda. Seu celular estava sem sinal e seu rádio não pegava. Colocou um CD para relaxar e continuou a peleja.

20 comentários:

Bala Salgada disse...

Ah certamente a cerveja transformou ele em melhores amigos.
Quando li sobre coxinha e etc, nossa que saudade deu do Brasil.
Era só ir na esquina para comer uns salgados.
Aqui comprei pastelzinho de pizza e veio com bacon, e olha que são brasileiros que fazem. E sou vegetariana...

Idylla disse...

Gosteii da históriaaaaaa....
beijão!!!! ;)

Regiane disse...

Anjos que ás vezes nem caem do céu, pois ainda nem foram pra lá mais que salvam nossas vidas.


Continue, suas histórias são fantáticas.

Sou blogueiro - INDICOESSE disse...

Que bom que gostou da dica!

Então fiquei triste de Gilberto ser assaltado mas alegre de ele poder conversar com alguém aquela noite!
Parece que Gilberto saiu mesmo de sua casa para sofrer aí fora!

Sou blogueiro - INDICOESSE disse...

Tomara que Gilberto não enfrenta tantos problemas pra ir trabalhar, então melhor nem fosse!
O pior é que o celular dele nem tá pegando mais pra poder ligar pra família! Uma situação chateadora!

Airton disse...

eae
os caras tavam passeando em sp heheheh

bom texto

mais noticias de cannes la nu blog apartir das 23 de hj
abraçoo

http://publicandobr.blogspot.com

Sou blogueiro - INDICOESSE disse...

Que bom que vc gostou do post!!
tb acho que caprichei na ideia!
Obrigado!
Seus contos também tão enigmáticos, queria ver o que aconteria no quinto, sexto, sétimo ato se tiverem!
Abraço

Burns disse...

Esse Gilberto me parece familiar às vezes...

Sou blogueiro - INDICOESSE disse...

Um escritor nato ! É isso que tu és!
Parabéns, assim que temos mais conteúdo válido na net. Precisamos de escritores como vc!

Flantuares disse...

Bom conto. Continue antes que o fluxo mental pare.

Bala Salgada disse...

Rs...tem ladrões que nos divertem com as trapalhadas, estou pensando em editar o post: encontrei um que se amarrou no comparsa pra quando a polícia chegasse culpasse o dono da loja.................


??? Rs...

Sou blogueiro - INDICOESSE disse...

Vc assistiu a todos os videos?

Sou blogueiro - INDICOESSE disse...

São acidentes mais que descontraídos.
Agente não sabe se chora ou se ri! Descuido pode ser fatal né!
Desejo pra vc um ótimo dia e semana!

Airton disse...

opaa
legal cara....
eu vo add o seu blog la no meu painel
nem tinha visto q num tinha la ainda
hehehe

abraço

betella's disse...

Uma novela ou seriado que eu faria questão de acompanhar. (Oras já estou acompanhando rsrsrs)E olha que nem gosto muito de novela ...
Muito bom ... cada vez melhor!
Parabéns. Sempre vale a pena passar por aqui.

Tamara Queiroz disse...

Vou ler os atos anteriores para me inteirar.



--
Ah, por enquanto, só posso dizer que amizades de estrada deveriam ganhar outro nome. São tão verdadeiras e, talvez, nunca mais voltemos a vê-las.

Mmm... Gostaria de rever alguns rostos...!

Um beijinho,

Sou blogueiro - INDICOESSE disse...

Qdo tiver mais novidades me avisa. Seus textos são muito bons!
:D

Sou blogueiro - INDICOESSE disse...

É com leitores que nem você que me dá gosto de continuar postando sempre!
Obrigado, Tiago!

Silvio Koerich disse...

Rs cerveja torna todos amigos. Cerveja e ladrões imbecis rs show


Passa no meu blog e vê se gosta.

Tô te seguindo agora

abraço

Bala Salgada disse...

Rs...achei que o outro estava tão feinho, rs...
Estou tentando acabar com o vício e ficar com esse, vamos ver se consigo parar, zoeira.