terça-feira, 22 de maio de 2012

Passaporte (Sonhei que dormia na Opera)

A sonata te ata. Seus gestos, a fuga. Sua fúria, libertação. O pranto, catarse de intensa tensão. Fugaz foi seu desejo em melhora. Agora, esquece o que lhe padece, coagido em sua ardente libido. Em sua mente, suavemente, amor. Em plena noite quente, na agonia do calor, disse que era dia. Com alegria ou sorte, jogando xadrez com a morte.

8 comentários:

disse...

Manifesto meu grito, extremamente positivo ao texto! =)

Flávio Antunes Soares disse...

Esse texto é muito bom.
Lembrei de um Passaporte que, certa vez, também me fez sonhar.

Nadine Granad disse...

Grito: ei, não demore para postar!

Burns disse...

Grande Thiago! Que bom que passou lá pelo blog.
Finalmente consegui arrumar tempo pra voltar... hehe
Aproveitando que agora A Hora do Cafezinho está mudada, podemos combinar uma participação sua, o que acha?
Abração!

# Poetíssima disse...

suavemente, amor...

Adoro.. (risos)

gosto de vir aqui ver-te através de tuas palavras..

grata pela visita..

forte abraço!

Jéssica do Vale disse...

Nossa, incrível sentir que me encaixo perfeitamente em cada palavra.

Encantador!

Jaci Rocha disse...

"Em sua mente, suavemente, amor"

E um universo.Pulsante.

Que belo texto!

K disse...

porque os que escrevem "barbaramente" param?
:) eu não me contento só com o face...
bjs