segunda-feira, 27 de maio de 2013

Ensaio dos sentimentos

Das dores

Noite fria
Madrugada a dentro
Parece não ter fim
Ventania
Horas de tormento
Escura igual nanquim

Dos amores

Criança que se pinta
Na brisa, flores lhe finta
A brincadeira aflora
Suaviza, fantasias de outrora

Da esperança

Se a luz virá pela manhã
A terra desce
O filho que não foge a luta
Jamais padece

Do cotidiano

Ponto que bate, bom dia
Suor escorre na testa
A fuga é o que lhe resta
Vida estandarte, tardia

Dos sonhos

Olho distante, esvazia emoções
Pele seca e aparencia pasma
Boca falante, livres associações
Rescaldo de bronquite e asma

Do juízo


Cio
Ócio
Sócio
Idade
Vaidade
Sociedade

Um comentário:

Rafaela Figueiredo disse...

Retratos peculiares sobre, nada menos, q a vida...
Bons fragmentos!