segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Sem sinestesia para eu sentir seus olhos quentes.

Precisava de um verbo transitivo um pouco mais direto, quando você ligou a ação daquele tal sujeito, todo pomposo e composto, com meu coração.

Não me venha com complementos verbais. Pois, não sou subordinado a essa condição.
Tento reger minha vida sem você, não preciso de concordância de ninguém.

Não sou facultativo, só tenho adjetivo oriundo pra empregar em você.

Desculpe minha ortografia, é que não tenho leitura, não sei o que é ditongo depois desse tombo. Não sou herói pra ninguém.

Não trema ao ler, agüente. Não se sinta negativa.

Contudo, afirmo que meu particípio causou-lhe algo, nada figurado. Mesmo estando ligada a esse tal sujeito, que não é nada simples.

Um comentário:

Luana disse...

Nossa Thiago! Esse texto tem um dominio enorme da gramatica. Amei ele de paixão, vou copiar, tá? bjinhuuuu!!!!!!