segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Inquietação.

Como nos livrar do sentimento de culpa? Como arrancar do peito a angústia do erro? Ter a consciência de um ato errôneo torna-o mais errado? Como evitar este mal inevitável?

Não posso ser omisso, não quero e não tenho este direito. Não pretendo ter o fim igual aos dos meus heróis e, tampouco, aliar-me aos meus inimigos. Prefiro a morte. A morte é algo que não temo mais. Só temo a dor que ela possa me proporcionar. Só.

Não busco respostas obvias. Antes um soco do que um afago. Afinal, não o mereço. Essa inquietação me deixa a beira da loucura. Porém, nunca tive o conhecimento da linha da sanidade.

Não me venha com perguntas. O que eu quero são respostas. Como me livrarei de você? Não, não digas nada, pois, já suponho o que dirás.

Um comentário:

Vic Paulista disse...

é exatamente sobre isso que eu sempre escrevo. mas nem consigo usar palavras tão bonitas assim. HSAUHSUAHSUAHSUAHSUAHU

é nóis jimmy bolha