domingo, 9 de dezembro de 2007

O início.

Está dentro do meu peito e fora do meu controle. Tem um que de poesia moderna misturada com distorções de guitarra.

Está no alto e ao mesmo tempo perto de mim. Explicar? Não precisa, nota-se no meu olhar, na minha feição, na minha pele, nessa canção. Estado eterno de felicidade.


Ao cair da noite sinto o seu perfume, ao amanhecer lembro-me do seu beijo e passo o resto do dia pensando no seu jeito, no seu sorriso. Ah! Que sorriso. Um olhar doce e profundo que atravessa minh’alma e atinge o que tenho de mais puro e verdadeiro.


Essas frases soltas não traduzem o que tenho a dizer. Se realmente quer saber, basta olhar-me e notará um alguém radiando luz, exalando alegria, com sorriso frouxo e com vontade de viver eternamente. Pois, está dentro do meu peito e fora do meu controle.

2 comentários:

Eduardo disse...

Ainda acho que o amor é a temática interminável de todos os tempos...

Regiane disse...

nada é por acaso tudo esta escrito