sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Bom princípio.

Quando criança, costumava pedir aos meus familiares mais velhos um trocado no fim do ano, o conhecido: “Bom princípio de ano novo”. Isso está na cultura popular, faz parte de uma tradição enraizada nos mais diversos lugares. Com o passar do tempo, este costume se perdeu. Hoje em dia, não vejo no réveillon as crianças gritando e pedindo para todos: - “Bom princípio de ano novo, bom princípio de ano novo”.

Creio que deveríamos reviver este feito de infância. Bater na porta dos vizinhos? Pedir dinheiro para os tios do interior? Não! Deveríamos pedir bom princípio de ano novo para tipos como: Deputados mensaleiros, irmos ao portão aqueles juízes, pedir um real para os pastores daquela igreja, ou que tal, para aqueles tais publicitários? Opções é o que não nos faltam, em cada cidade têm um membro atuante desta corja.

Porém, se este trocado não vier dos bolsos desses caros, poderíamos caminhar por outra via e não contribuir com eles nas próximas eleições, não sermos mais dizimistas. Isso é pecado? Acredito que perjura maior à fé e ao ato de ser cidadão, é ficar omisso com essa tal situação.

Afinal, só pediremos um simples cum-quibus (como dizia meus avôs), fazer renascer uma velha brincadeira popular. Se eles nos tiram o ano todo, por que não devolverem na virada? Não é piada! Só queremos isso e mais nada.

Um comentário:

Mágica Leitura (Martha) disse...

Não sabia sobre esse costume, se soubesse teria ganhado um pouco mais na infância, risos...
Gostei imensamente do blog.