quarta-feira, 24 de junho de 2009

Depois do fim - Ultimo ato

Histórias de viajantes

Já era tarde do dia, quando chegou a Contagem. Exausto e morrendo de sono, Gilberto procura um hotel para tomar um banho, ligar para sua casa e dormir algumas horas. Mas, antes disso, resolve ir a um banco para sacar dinheiro, com objetivo de ir até a casa de Osvaldo.

Após isso, ele pergunta sobre o endereço para alguns taxistas, que o orientam como chegar lá. É afastado do centro, mas, fácil de encontrar.

Depois de ir ao banco, não demora muito e Gilberto encontra a rua da casa de Osvaldo. Ele fita as casas, uma a uma, percebe que se trata de um bairro muito carente. Algumas crianças brincam nas calçadas e acenam para ele. No final da rua, próximo a esquina, em um portão de madeira, muro chapiscado e com o número quinhentos e vinte e dois. Era ali a casa de Osvaldo, Gilberto enfim a achou.

Em frente à casa, Gilberto estaciona sua van e desce. Bate palma uma, duas, três, algumas vezes e chama por Marília. Demora um pouco, mas ela ouvi o chamado e grita que já irá atendê-lo. Marília abre o portão e diz, educadamente que, se for um vendedor, seja lá do que, ela não teria dinheiro e, pouco menos, interesse em comprar. Gilberto sorri e diz que não estava ali para vender nada, seu intuito era pagar uma dívida. Espantada, Marília pergunta sobre essa tal dívida. Gilberto diz que tem uma dívida com Osvaldo e que prometeu pagar a dívida à ela. Ainda sem entender, Marília pergunta mais uma vez sobre a dívida, se foi um serviço ou uma venda de peças mecânicas, enfim, quando foi que Gilberto viu Osvaldo pela última vez. Gilberto então explica, fala a Marília sobre o combinado e que ele estava ali para honrar o compromisso.

Antes de terminar a explicação, Marília bate o portão em sua cara, entra para sua casa e, aos pratos, diz que a brincadeira fora de muito mau gosto. Gilberto percebe o portão semi-aberto e entra se explicando, abrindo a carteira e contando as notas. Marília enxugando as lágrimas com seu avental, fala a Gilberto que seu marido, Osvaldo, havia falecido há alguns anos.

Gilberto se desculpa e diz que entrou na casa errada, que tudo não passava de um mal entendido, havia se confundido com as casas parecidas. Nesta hora, uma menina chorando, cruza a cozinha e abraça a mãe, dizendo que sua irmã puxou seus cabelos. Quando Gilberto ouve a garota falando o nome da irmã, Jéssica e Marília a consolando, chamando-a de Rebeca, ele fica espantado. Retira o bilhete do bolso de sua camisa e confere o endereço com Marília. Gilberto, com a voz tremula, pede para Marília uma foto de seu marido. Sim, trata-se da casa de Osvaldo.

Ao entregar a foto, Marília explica que ele fora morto por assaltantes em um restaurante de estrada. Após ter recebido por um serviço prestado, dois marginais abordaram Osvaldo e pediram o dinheiro. Como são pobres e suas filhas queriam um presente de natal, Osvaldo hesitou, foi então que, numa luta com os bandidos, um deles cometeu um disparo fatal.

Gilberto observa a foto e chora ao ouvir o relato de Marília. Dá o dinheiro a ela e, mais uma vez, conta como conheceu Osvaldo. Marília chora bastante, se lamenta pela perda do marido, fala da dificuldade que passam e diz que acredita na história de Gilberto, pois, Osvaldo era mesmo muito caridoso e prestativo. Eles se abraçam e choram bastante. Gilberto vê a foto sobre a mesa e, com um semblante de felicidade, agradece.

Após um café e um longo papo, Gilberto atravessa o quintal, cruza o portão e, enxugando suas lágrimas, entra em sua van carregada de peças, malotes e experiência de vida.

Contaram-me essa história em um restaurante de estrada, próximo a Corumbá, Mato grosso do Sul. Algumas pessoas me confirmaram tudo. Disseram-me que foi o próprio Gilberto que, em outra viagem, passara ali e contou sobre este ocorrido. Porém, outras pessoas falaram que se trata, apenas, de mais uma de tantas histórias contadas por viajantes.

30 comentários:

Tamara Queiroz disse...

Chocante.


Paralisada.



--
B-joletas de algodão-doce

Unknown disse...

Muito legal.
O final(?) foi surpreendente.

Airton disse...

eae caraa
opaa manero
bom desfecho....

de uma passada no blog
abraço

Carol Betella disse...

arrepiei! rs

Atreyu disse...

O final não foi o ponto mais alto não.. hehe
.-.
Só eu achei isso? O.O’
*começando a ter vergonha*
Mas vou falar pq...
Assim:
Acho que no 7ª e 8ª parágrafos Marília se mostrou muito real. Isso deixou o texto mais legal ainda! Massa

Caricaturas Urbanoides disse...

Que meda!!

SBIE disse...

Que bacana, último post dessa viagem!
Vou ler daqui a pouco e comento sobre o que achei! Até agora Gilberto parece estar numa enrascada, vamos ver
:D

SBIE disse...

Terminei de ler, que interessante, então Gilberto infelizmente soube que Osvaldo, aquela alma tão piedosa, morreu!
Mas me fale como ficou a vida de Gilberto após isso! Ele não voltou para a casa dele após isso? Ficou por Contagem mesmo!
O texto parece que precisa de uma continuação, não via a figura de Osvaldo tão importante nos primeiros atos pra que a estória terminasse assim. Todavia o texto é de uma clareza incrível.
Parabéns!

Mari disse...

Brilhante...ótimo desfecho,,,a história toda é boa,,,Meus parabéns!

Bala Salgada disse...

Vou postar o comentário 10 000 rs...

Nossa, que pesado, assaltantes e tudo o mais!

Realmente, achei triste o que aconteceu. Eu nunca considerei ele culpado porque temos que esperar até que se prove, e aqueles pais das crianças lá...Aceitando dinheiro, pra mim foi quase uma prova que Michael era inocente.

Bala Salgada disse...

Rs...é um menino totalmente estranho viciado em Warcraft, graças, mas graças à Deus eu não gosto de game assim.

Só um Need de vez em quando, hehehe.

SBIE disse...

Bom diaa, tenha um ótimo fim de semana começando de agora (sexta)!!

Deeh disse...

Achei muito interessante esse seu post. São essas estórias (ou seria uma história?!) que nos fazem aprender mais dessa vida...

Primiera vez por aqui, gostei...
Abração

Publisher Ariana disse...

Passando e aterrissando aqui pra conhecer seu blog.
Hum, vejamos, um rapaz latino-americano, sem dinheiro no banco e ainda vindo do interior???
Ah, e ainda escreve em atos...
Será que esqueci alguma coisa?


Beijos

Tamara Queiroz disse...

Ah, querido, suas palavras bailam com a gentileza!

Muitíssimo agradecida!

Um beijo,

Airton disse...

opaa
cara
axu q tu vai gosta desse post...

abordei sobre personagens insolentes de hollywood

http://publicandobr.blogspot.com/2009/06/insolencia-no-cinema-primeira-parte.html

SBIE disse...

Tenha uma excelente nova semana!

Flávio Antunes Soares disse...

Ficou muito boa essa história!

SBIE disse...

Será que não
seria necessário uma continuação
dos contos!? Senti vontade de saber o desfecho de outras partes da estória!

Abraço,
e agora excelente final de semana!

Tamara Queiroz disse...

Louca para que atualize.

SBIE disse...

Louco para que atualize [2]

Bala Salgada disse...

Eu li de novo :D. Eu gosto dessa história.
Parece um conto único. Com certeza a melhor parte.

Incrível quando isso acontece na vida real, mas para escrever isso é preciso muita imaginação.

Tamara Queiroz disse...

Então, você tem uma incentivadora =)

Que viva a saúde, o bem-estar e a alegria!

Um beijo,

Airton disse...

entao
a questao eh assim a imagem fico meioque amadora devido a camera escolhida num sei q tipo eh sei q num foi uma adequanda pra publicidade a direçao axei sei la meio corrida mto rapido o comercial

padrao globo de qualidade eu falei brincando....hehe

Anônimo disse...

não tem mais posts novos?

SBIE disse...

Louco pra que atualize[3]
Boa semana Thiago

SBIE disse...

Louco pra que atualize[3]
Boa semana Thiago

Aмbзr Ѽ disse...

eu fiquei com um nó na garganta. nem pra mais nem pra menos. vc soube contar essa história do jeito certo!

Blog Suicide Virgin

Erika Sodré disse...

*incrível...

saudade de passar por aqui....

Tatiane Garcia disse...

Oi Thiago, obrigada pela visita no Sopa, apareça sempre...ontem comecei ler seu conto do final (dããa) - as vezes eu PRECISO ler o final antes, coisa de gente ansiosa...rs...está muito legal !! vou te linkar, ok? se houver problemas, é só falar !
Beijos!!!!